Ultrapassar é preciso

“Às vezes precisamos nos quebrar e juntar nossos cacos para então podermos construir uma nova imagem, um novo ser, uma canção melhor. Você já iniciou o caminho da transformação, precisa agora percorrê-lo abrindo mão de atalhos ou desvios. Você precisa de dificuldades para então usufruir dos privilégios da simplicidade, que nada mais é do que a Verdade Plena. Obstáculos precisam ser ultrapassados, para que eles nunca mais despontem em seu caminho outra vez. Não bastar passar, é preciso ultrapassar.”

Continue lendo “Ultrapassar é preciso”

Diário de uma Transformação

Dia 25 – 03 de novembro de 2015 – Enfim, o grande dia!

Acordei bem cedo para fazer a barba para o grande dia – a barba estava enorme, deu bastante trabalho, mas a minha empolgação era tamanha que tudo corria muito bem, eu estava quase flutuando no ar, era inacreditável que eu tivesse chegado até ali, até o grand finale. Às 06:45, como prometido, Paco foi lá em cima acordar o povo, mas nos encontramos na escada, pois eu já estava descendo para o salão, enquanto ele subia para realizar esta difícil missão. Continue lendo “Diário de uma Transformação”

Diário de uma Transformação

Dia 19 – 28 de outubro de 2015 – Momentos mágicos e reflexões reveladoras

Ainda no Café na noite anterior, reencontro os dois senhores franceses que também pernoitaram na Quinta da Estrada Romana, os únicos que também iriam ficar no Albergue de Mós. De manhã, enquanto terminava de escrever o relato de ontem, descubro que um deles, o mais simpático e que se comunica comigo em espanhol, também é escritor. Falamos rapidamente, pois a maioria ainda estava dormindo, e eu volto a escrever, saindo depois para mais um dia de caminhada. Havia chovido bastante à noite e ao amanhecer, mas quando eu saí não chovia. Continue lendo “Diário de uma Transformação”

Diário de uma Transformação

Dia 17 – 26 de outubro de 2015 – A montanha mágica, lições de ouro, um dia mais que perfeito

Hoje foi O dia, um dia mais que perfeito, um dia especial, mais um dia de verdade! Acordei às cinco da manhã e fiz as coisas com bastante calma, fui o primeiro a levantar das 15 pessoas que também pernoitaram no albergue naquela noite. Mais uma vez dormi bem ao lado da dupla de amigos que dividiram o quarto comigo em Barcelos, que foram a sensação da noite com seus roncos sonoros e assustadores, rs. Chovia muito de manhãzinha, estavam todos preocupados e fazendo mil planos, mas eu estava tranquilo: se a caminhada hoje tivesse que ser debaixo de chuva, que fosse. Já não tenho vontade de ter controle sobre nada, quero deixar cada vez mais a vida fluir, quero vivê-la sem reclamar de nada, sem lamentar nada, sem “amaldiçoar” nada. Saio então às sete e meia, surpreendentemente não está chovendo, contrariando todas as previsões que diziam que choveria o dia inteiro e a semana toda. Continue lendo “Diário de uma Transformação”