Diário de uma Transformação

Dia 18– 27 de outubro de 2015 – Bosques fantásticos, caminhando com um anjo

Hoje foi outro dia intenso, parece que será assim até o fim, o Caminho revelando seus últimos e valiosos mistérios e surpresas. Acordei em uma boa hora, nem cedo nem tarde, depois de uma boa noite de sono. Desci e fiz um chá, um rooibos que havia na cozinha, um chá que gosto muito. Os únicos que já estavam de pé eram dois senhores franceses que faziam juntos o Caminho Central Português rumo à Santiago. Chá pronto, fui degustá-lo lá fora, saboreando a brisa fria do dia que estava amanhecendo perfeito naquele lugar mágico e lindo no meio do nada. Foi um grande momento de paz que anunciava que o dia hoje também seria especial. Antes de entrar de novo, fiquei observando as placas que havia na entrada do local, aquelas placas com distâncias para os lugares, e três em particular me chamaram a atenção: já tinham sido percorridos 477 km desde Lisboa, faltam 125 km para Santiago de Compostela e 201 km até Finisterre, o destino final de minha jornada. Só restava saber se eu teria condições de realizar a jornada inteira, mas eu tinha fé que o Caminho me traria soluções, e foi uma das coisas que aconteceram hoje. Continue lendo “Diário de uma Transformação”

Diário de uma Transformação

Dia 17 – 26 de outubro de 2015 – A montanha mágica, lições de ouro, um dia mais que perfeito

Hoje foi O dia, um dia mais que perfeito, um dia especial, mais um dia de verdade! Acordei às cinco da manhã e fiz as coisas com bastante calma, fui o primeiro a levantar das 15 pessoas que também pernoitaram no albergue naquela noite. Mais uma vez dormi bem ao lado da dupla de amigos que dividiram o quarto comigo em Barcelos, que foram a sensação da noite com seus roncos sonoros e assustadores, rs. Chovia muito de manhãzinha, estavam todos preocupados e fazendo mil planos, mas eu estava tranquilo: se a caminhada hoje tivesse que ser debaixo de chuva, que fosse. Já não tenho vontade de ter controle sobre nada, quero deixar cada vez mais a vida fluir, quero vivê-la sem reclamar de nada, sem lamentar nada, sem “amaldiçoar” nada. Saio então às sete e meia, surpreendentemente não está chovendo, contrariando todas as previsões que diziam que choveria o dia inteiro e a semana toda. Continue lendo “Diário de uma Transformação”