Regresso ao essencial

“Gabriel tinha um carinho e um respeito enorme pela natureza, costumava dizer que éramos agraciados por ter uma Mãe tão generosa, que nos abriga carinhosamente no seu seio apesar de todo o mal que fazemos a Ela. Isis chegou a ficar arrepiada quando se lembrou das vezes que viu Gabriel reverenciar a natureza, era um momento realmente especial. E parece que agora era a sua vez de passar por isso, ela sentia uma sensação sublime de preenchimento, de união, de dar e receber, de ciclo completo. Isis ficou assim por um tempo, contemplando a magia do universo, sentindo a energia da vida adentrar os seus poros e misturando-se com a sua alma, fazendo parte de uma espécie de reciclagem espiritual.”

Este trecho de “AGEHU – Onde a vida começa a mudar” enfatiza a importância de se reverenciar a natureza, de sentir-se acalentado e grato por estar no seio da Grande Mãe. Em tempos modernos, esta conexão com a natureza perdeu-se bastante; mas a boa notícia é que cada vez mais pessoas estão percebendo a importância de reconectar-se com a sua essência, que está ancorada nas belezas naturais que vislumbram os olhos e corações mais atentos e despertos.

Continue lendo “Regresso ao essencial”

Diário de uma Transformação

Dia 8 – 17 de outubro de 2015 – Aceitação, gratidão, o coração bate mais tranquilo 

Assim que cheguei em Alvorge, um senhor bem na entrada da cidade perguntou se eu tinha onde ficar, fazendo propaganda de um albergue local, e eu logo disse que estava pernoitando nos bombeiros das localidades. O senhor continuou insistindo, parecia estar um pouco bêbado, e me levou para um Café, dizendo que o albergue era gratuito e que o dono do estabelecimento onde estávamos era o responsável pelas hospedagens – o insistente senhor ainda tentava me convencer contando que lá havia duas estrangeiras muito bonitas, mal sabendo que a última coisa que eu queria no mundo naquele momento da minha vida era me relacionar com alguém, rs. Enfim, conheci o responsável pelo albergue, que me indicou a direção a tomar e confirmou que a estadia era gratuita (só recebia donativo, caso a pessoa quisesse contribuir), pois o albergue pertencia à paroquia local. Continue lendo “Diário de uma Transformação”