Devida licão de vida

“Um antropólogo estava a estudar os usos e costumes da tribo Ubuntu. Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, colocou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e colocou tudo debaixo de uma árvore. Aí ele chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse “já”, elas deveriam correr até o cesto e a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro. As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse “já”, instantaneamente todas as crianças deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e comeram felizes.

O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou por que elas tinham ido todas juntas, se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces. Elas simplesmente responderam: ‘Ubuntu, tio. Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?’

 

Diário de uma Transformação

Dia 24 – 02 de novembro de 2015 – Paisagens inesquecíveis e um dos momentos mais emocionantes de toda a jornada

Acordo com uma energia alucinante para percorrer o penúltimo dia do Caminho de Santiago até Finisterre, o fim do mundo! Ainda está escuro, e assim pego minhas coisas sem fazer muito barulho e atravesso a ruela para a cozinha do albergue, num frio de rachar. Para variar, sou o primeiro a levantar, e preparo o meu café da manhã em silêncio, na maior paz. Pouco depois reencontro algumas pessoas que conheci na noite passada e depois de tudo pronto, desejo buen camino a todos, e saio mais do que feliz para esta que seria uma das mais especiais caminhadas de todos estes dias especiais, bem equipado contra o gostoso frio do amanhecer. Continue lendo “Diário de uma Transformação”