Diário de uma Transformação

Dia 23 – 01 de novembro de 2015 – Mais perto do fim do mundo

Durmo muito bem no Albergue Lua, o lugar realmente tinha uma energia especial, provavelmente por causa da simpática dona e também pela tranquilidade e serenidade dos peregrinos que lá estavam. Na noite anterior segui a dica da anfitriã e comprei algumas coisas no mercado para uns dois dias, coisas para almoço, jantar e café da manhã. Deitei-me após fazer uma janta um tanto deliciosa e tomar uma cerveja de um pub, sentindo na pele o frio extremo da noite quando fui rapidamente buscar a bebida no local, que ficava apenas a uns 50 metros e na mesma calçada do albergue. Continue lendo “Diário de uma Transformação”

Diário de uma Transformação

Dia 17 – 26 de outubro de 2015 – A montanha mágica, lições de ouro, um dia mais que perfeito

Hoje foi O dia, um dia mais que perfeito, um dia especial, mais um dia de verdade! Acordei às cinco da manhã e fiz as coisas com bastante calma, fui o primeiro a levantar das 15 pessoas que também pernoitaram no albergue naquela noite. Mais uma vez dormi bem ao lado da dupla de amigos que dividiram o quarto comigo em Barcelos, que foram a sensação da noite com seus roncos sonoros e assustadores, rs. Chovia muito de manhãzinha, estavam todos preocupados e fazendo mil planos, mas eu estava tranquilo: se a caminhada hoje tivesse que ser debaixo de chuva, que fosse. Já não tenho vontade de ter controle sobre nada, quero deixar cada vez mais a vida fluir, quero vivê-la sem reclamar de nada, sem lamentar nada, sem “amaldiçoar” nada. Saio então às sete e meia, surpreendentemente não está chovendo, contrariando todas as previsões que diziam que choveria o dia inteiro e a semana toda. Continue lendo “Diário de uma Transformação”

Diário de uma Transformação

Dia 5 – 14 de outubro de 2015 – A sabedoria do caracol e perder-se para encontrar-se

O dia amanheceu lindo em Golegã, que os portugueses pronunciam Guligã – acho muito curioso como eles trocam o som das letras, mesmo vivendo aqui por quase um ano e meio. Antes de sair da cidade, parei na GNR (Guarda Nacional Republicana) para pegar mais carimbada em minha credencial do peregrino, pois preciso sempre de dois carimbos por dia. Na verdade, isso é um pouco indiferente para mim, o importante é percorrer o Caminho e me redescobrir nele, o resto é o resto, tanto que nem trouxe câmera fotográfica, telefone celular ou qualquer outro tipo de aparelho que pudesse desviar a minha atenção. Preciso de concentração total, é a minha vida que está em jogo, a minha reestruturação, o meu renascimento, a minha transformação. Continue lendo “Diário de uma Transformação”