Só muda quem assume o que faz

“Tudo depende do nosso ponto de vista – continuou Isis –, daquilo que estamos dispostos a enxergar. Podemos olhar para o mar e ver apenas um monte de água ou podemos vislumbrar a incontável quantidade de vida e beleza que há em seu interior. Podemos olhar para um jardim no fim do inverno e enxergarmos tão somente a morte ou podemos nos dar o trabalho de olhar mais atentamente e percebermos a vida brotando vagarosa e infinitamente. Depende para onde direcionamos o nosso olhar ou nossa vontade. A escolha é nossa! E por isso os frutos que iremos colher são também de nossa inteira responsabilidade.” (AGEHU, Neo One Eon)

Neste trecho de meu novo livro, a personagem toca num tema fundamental no que se refere ao desenvolvimento pessoal: para onde direcionamos a nossa vontade. E se nós é que direcionamos a nossa vontade, isto significa que nós somos unica e exclusivamente responsáveis por nossas escolhas e ações. Alguém poderia perguntar se isso é bom ou ruim, mas acredito que só seja possível uma resposta – ser responsável pela tua própria escolha é o mesmo que dizer que és livre e tens como lutar pelos teus sonhos e planos por conta própria; e que também podes mudar algo que não esteja caminhando bem.

Einstein disse uma vez “Loucura é fazer sempre a mesma coisa e esperar um resultado diferente”. Portanto, se queres um resultado diferente, fatalmente terás que agir de outra forma. Mas tudo depende do nível de satisfação da pessoa: a mudança se faz necessária quando há um nível de insatisfação alto em relação aos resultados de uma ação, sejam estes referentes a um grande projeto ou apenas uma tarefa cotidiana. Mas de onde vem a vontade de se fazer algo, donde nascem os nossos pontos de vista? De nossas crenças, daquilo que começamos a adotar como nossas verdades desde pequeno, de tudo que ficado guardado no nosso inconsciente e reflete de forma direta em nossos comportamentos e, claro, em nossos resultados.

Mas o que é preciso para mudar esta equação, para reprogramar as crenças que estão a limitar os teus resultados? Perguntas. Sim, as perguntas são ferramentas poderosíssimas para provocar uma mudança positiva nos resultados. Pergunte-se, questione se realmente estás agindo de acordo com teus ideais, pergunte a si mesmo se estás com a energia focada para obter um resultado específico ou se estás a dispersar energia em várias coisas ao mesmo tempo. E, caso não consigas sozinho, é nessa hora importante que podes recorrer a ajuda de um coach, um psicólogo ou um consultor. Na maioria das vezes, a ajuda de um profissional pode ser crucial para encontrares as respostas que procuras. Mas independentemente se sozinho ou com ajuda externa, uma coisa é mais do que certa: as respostas estão em um lugar muito especial – todas as respostas estão dentro de ti.

Boa semana e boas perguntas!

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s