Confusion

Pensa, ele pensa em como escapar desse labirinto. Qual é o caminho do bem, pergunta-se às vezes com um tom de agonia no pensar. Ele tira a luva, ele precisa sentir o momento intensamente, ele precisa expressar o que está sentindo, sem saber direito o que está sentindo, mesmo sem saber se tem sentido. A mão dói, mas não importa, nada interessa, ele precisa continuar, precisa saber até onde vai o que ainda não aconteceu, ele precisa dar mais um passo, e cada passo a mais é mais um passo a menos, cada futuro alcançado transforma o presente em passado. Onde está a sua paz, aquela que o vinha acompanhando, acompanhando seus movimentos. Movimentos… Será que esta é a chave, estar em movimento, pergunta-se. Às vezes ele tem a impressão que muita paz tira a sua paz, que muito sossego o desequilibra, o deixa inquieto. Quem é este que pensa, será o mesmo que sente, será o mesmo que age? Quantos seres, quantos ‘eus’ ele possui? Não, eu não, ele! Mas quem é ele, quem é ela, quem é o elo? Elo perdido ou reencontrado? Renascido ou excomungado? Continue lendo “Confusion”