Noite escura

E ele subiu a montanha

E ele descobriu outro caminho

E ele pegou esse caminho

E ele parou e admirou a paisagem

E ele seguiu em frente

E ele voltou para o plano inicial

E ele chegou a tempo

Mas não conseguiu parar de caminhar

 

Então ele descobriu outro caminho

E ele viu que levava até o pôr do sol

E ele segui em frente

Ele não conseguia parar de caminhar

O sol era o limite

E então ele sentou na pedra

E tocou o sol com a mão do pensamento

E com as extremidades da alma

 

O sol se foi

Mas ele ficou

A noite ainda era longa

E assim ele pegou o caminho de volta até o topo

E no solo sagrado ele fez o círculo e ficou nele

E assim enfrentou a sua noite escura

Porém bela e iluminada pela lua e pelas estrelas

E assim ele não teve medo

E assim ele sentiu frio

Pois o céu era o seu teto

E o vento era o seu companheiro constante

 

E assim foi a noite inteira

Um diálogo entre pessoa, vento, lua e estrelas

E ele pensou nela e neles

E em silêncio e segredo beijou suas almas

E ele viu estrelas cadentes

E ele viu até estrelas que viajavam pelo céu como aviões ou naves espaciais

E ele viu o mundo

E ele estava no mundo

E ele era o mundo

E quando amanheceu ele dançou

A música era o vento

Os cantores eram os passarinhos

E o ritmo, a própria vida

Que nascia novamente diante de seus olhos deslumbrados

E eternamente agradecidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s